terça-feira, 24 de agosto de 2010

Solidariedade?

Fui ao LIDL buscar umas bolachas para ter aqui no escritório, corri a prateleira das bolachas e escolhi-as com base em dois critérios, o meu gosto e o preço.
Quando me dirigo para pagar a senhora que estava na caixa perguntou á pessoa á minha frente se não queria contribuir com 1 euro para mandar água para um país qualquer de África, a cliente disse que não, e justificou-se, dizendo que ontem já tinha dado e que realmente não podia ser todos os dias.
Quando chegou á minha vez eu fui questionada da mesma forma e confesso que não tive coragem de dizer que não, apesar de não confiar nestas campanhas, só que fiquei meia constrangida e afinal era só um euro. Um euro não custaram as bolachas que eu lá fui buscar!
Não é pelo valor do dinheiro em si, é pela forma como as pessoas são abordadas. Quer me parecer que o pioneiro destas andanças foi o Modelo com os arredondamentos para a Madeira. Até nos sentíamos mal por não dar 5 cêntimos para ajudar e pronto la íamos contribuindo até fazer uma soma jeitosa feitas bem as contas.
 Desta vez no LIDL pediram logo 1 euro, pelo andar da carruagem vou mesmo ter que perder a vergonha de que me chamem forreta e olhar pela minha carteira. Ainda para mais a minha opinião sobre estas campanhas é bastante clara....De boas intenções está o inferno cheio.

3 comentários:

jiboia disse...

Sabes o que respondi, se fosse para ajudar alguns portugueses que tem necessidades,tudo bem...agora outros enquanto "os meus" estão mal,não! Penso assim, primeiro os de cá, depois logo se vê! Foi assim...ou, ainda ficou com ma cara. Valha me Deus

marta. disse...

nunca dar é o meu lema... senão valha-me deus! Eu gosto de ajudar mas tem de ser com acçoes que tu possas ver senão não confio muito :)

Maria disse...

Sou tão contra estes peditórios. Sabes lá tu onde vai parar o teu cacau... Eu não dou. ajudo de outras formas :)