quarta-feira, 27 de outubro de 2010

YSL - Yvete Sousa Loureiro

Um agregado famliar de três pessoas. Os pais e uma filha. Ordenados a cima da média. Pagamento de empréstimo de uma casa, dois carros para sustentar e uma filha da faculdade e tudo o que isso acarreta. Na impossibilidade de comprar o 3º carro um dos progenitores diz:"Isto está difícil, não conseguimos comprar já outro carro , vamos ter que esperar" , o outro progenitor diz: " Ela não consegue estacionar carros grandes, vamos esperar até que apareça um carro mais pequeno".
São duas formas de dizer as coisas, nestes assuntos eu prefiro sempre dar a resposta sincera. Não consigo mostrar uns sapatos comprados na feira e dizer que me custaram os olhos da cara. Normalmente eu até me vanglorio pelas pechinchas que encontro.
Podemos também falar do inverso, pessoas que compram coisas caras e sem que ninguém lhes pergunte nada insistem em dizer que foram pechinchas e que compram tudo nas lojas baratinhas, porque a vida não está fácil e blá blá blá, oh meu deus eu sinto-me mal por ter dinheiro.
Ninguém tem nada haver com o nosso dinheiro portanto quando falamos nisso por opção convém que no minimo seja verdade não?
 Não nos vamos gabar do que não temos, mas também não vamos chorar e dizer que somos pobrezinhos.

4 comentários:

Filipe Ribeiro disse...

Mas que chatice...não há dinheiro para o 3º carro. Mas que crise que por aí anda...

jiboia disse...

Mas isto vai-se agravar ainda mais, o pessoal já nem tem dinheiro para presevativos, o numero de pessoas logicamente vai aumentar..os empregos vai escassear..ta tudo fecundado. Agora não ter dinheiro para o 3º carro é um atentado...mas tambem detesto os chorões...

JU disse...

Ainda bem que te preocupas com o escassear de preservativos, é daquelas coisas que vem logo á cabeça...
Pensamos em crise, logo, estão nos a foder, preservativos....tá certo. Bom linha de pensamento.

Nês disse...

Ahahah eu vi essa reportagem e só me ria! Oh santa paciência!