sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Vidas...

Com o tempo estou a aprender a não fazer grandes juízos de valor sobre pessoas que conheço. Já está mais que visto que cada pessoa não é para mim o que é para outros, e muito menos é para mim o que é dentro de quatro paredes para alguém.

Não estou com isto a dizer que apanhei alguma desilusão ou facada, longe disso. Ao contrário da maioria das pessoas eu não tenho histórias trágicas de amigos que me viraram as costas ou me chamaram de puta. Provavelmente alguns chamaram mas eu nunca soube e estou bem satisfeita com isso.

Simplesmente já não ponho as mãos no fogo por ninguém como antes, em que eu acreditava meeeeeesmo que aquilo que eu estava a ouvir não podia ter sido feito por aquela pessoa porque eu conheci-a e ela não era assim.

Ninguém tem de ser igual para um namorado, para a família e para os amigos, uma pessoa vai-se moldando a estes grupos. Mesmo sabendo isto sentimo-nos desconfortáveis quando vemos/sabemos uma pessoa no seio de outro grupo que não o nosso reagir de forma diferente e daí fazermos os juízos que passam muitas vezes pela falsidade e pelas duas caras.

Sem comentários: